Odeio pensar em títulos

Escrever é tão solitário que querer ser lido parece a mais vaidosa de todas as vontades.
É um exercício de respiração. Ler para inspirar; expirar letras pra esvaziar o pulmão. É sobrevivência e capricho ao mesmo tempo. Coragem de juntar as sílabas e medo de parir um texto. Escrever é a única saída não definitiva da própria vida. Querer ser lido é abuso. É erro. É esperar demais do tempo alheio. É sonhar que outros buracos se preencham do seu.

Quem escreve é terreno baldio. A caneta é a pá. As palavras são o que abrem a cova e leitor é quem dispõe-se a se enterrar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s